Apresentação

O Padre Manuel Antunes faz 100 anos no presente Ano de 2018, ano fértil em comemorações de datas significativas. Assinala-se em 2018, entre outras efemérides, o centenário sobre o fim da I Guerra Mundial, o bicentenário do nascimento de Karl Marx e os 600 anos do achamento oficial do arquipélago da Madeira, com o desembarque das caravelas portuguesas na Ilha do Porto Santo, acontecimento que marca o dealbar oficial da protoglobalização e o início do movimento europeu de descoberta sistemática dos caminhos dos mares ignotos do planeta Terra.

Há hoje um grande consenso em torno da importância e do significado do magistério pedagógico e intelectual de Manuel Antunes, considerado um dos mais notáveis pensadores do século XX português.

O Padre Manuel Antunes, sj (1918-1985), natural da Sertã, fez a sua formação e o seu cursus honorum na Companhia de Jesus, onde exerceu diversas missões e funções de professor, de conselheiro do governo na província jesuíta, de redator e depois Diretor da Revista Brotéria, a partir de 1955. No entanto, onde se destacou sobremaneira, tornando-se influente e conhecido, foi como professor da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa desde 1957. Passaram pelas suas aulas de cultura clássica e filosofia cerca de 15 mil estudantes que o recordam ainda hoje como um docente magistral, senhor de uma grande cultura e de uma capacidade de ligar e analisar as grandes assuntos do passado em articulação com os momentos e as questões do presente. Deixou uma obra escrita considerável, quase sempre em forma de artigos e ensaios publicados nas revistas da Companhia de Jesus, nas Enciclopédias Verbo e Logos, tendo assinado muitos dos seus textos com recurso a 126 pseudónimos. Alguns destes textos deram origem a livros de referência, entre os quais podemos destacar Indicadores de Civilização e Repensar Portugal. Entre 2005 e 2012 a Fundação Calouste Gulbenkian publicou a sua Obra Completa, em 14 volumes, onde se podem observar a diversidade de temáticas tratadas e refletidas criticamente por Manuel Antunes, desde a teoria da cultura, a educação e a filosofia, passando pela crítica literária, a teologia, até às relações internacionais. Um aspecto distintivo do seu magistério intelectual é o caráter prospetivo do pensamento quando trata de tendências e perspetivas do mundo e do homem contemporâneo. Por isso, ainda hoje mantém atualidade em algumas das análises e perspetivas críticas, podendo ser considerado um dos mais argutos hermeneutas da cultura e das sociedades hodiernas do século XX português. Senhor de uma escrita límpida e acutilante, deixou-nos sínteses críticas que se tornaram referência em domínios como a cultura clássica, a filosofia, a teologia, a história da cultura, a educação, a crítica literária, para a fazer a “radiografia” do homem e das sociedades hodiernas, da análise política e das relações internacionais. Os seus textos, escritos desde os anos 40 do século passado até à sua morte em 1985, ainda hoje podem ser lidos e meditados com proveito, sendo inspiradores para compreender o nosso mundo e atender aos desafios futuros.

O Centenário do nascimento desta figura maior da cultura portuguesa será assinalado com várias iniciativas (edição de livros, exposições, realização de eventos científicos), para cumprir os objetivos principais de dar a conhecer, a nível nacional e internacional, de forma tão ampla quanto possível, a vida, o magistério e o pensamento do Padre Manuel Antunes, e pensar Portugal, a Europa e o Mundo tendo como pano de fundo o legado intelectual e pedagógico deste pensador homenageado.

COMISSÃO DE HONRA DO CENTENÁRIO *
  • Presidente da República Portuguesa
  • Presidente da Assembleia da República Portuguesa
  • Cardeal Patriarca de Lisboa
  • Ministro da Cultura
  • Ministro da Educação
  • Ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior
  • Presidente da Academia das Ciências de Lisboa
  • Presidente da Academia Portuguesa da História
  • Reitor da Universidade de Lisboa
  • Reitor da Universidade de Coimbra
  • Reitora da Universidade Católica Portuguesa
  • Reitor da Universidade Aberta
  • Presidente da Câmara Municipal da Sertã
  • Presidente da Câmara Municipal de Lisboa
  • Presidente da Assembleia Municipal da Sertã
  • Presidente da Junta de Freguesia da Sertã
  • Presidente da Fundação para a Ciência e a Tecnologia
  • Presidente da Fundação Calouste Gulbenkian
  • Bispo da Diocese de Portalegre-Castelo Branco
  • Presidente do Instituto Camões
  • Diretor da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa
  • Presidente do Centro Nacional de Cultura
  • Diretor do Centro de Filosofia da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa
  • Diretor do Centro de Literaturas e Culturas Lusófonas e Europeias da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa
  • Presidente Superior Geral da Companhia de Jesus dos Jesuítas
  • Provincial dos Jesuítas em Portugal
  • Diretor da Revista Brotéria
  • Presidente da Sociedade Internacional de Estudos Jesuítas em Portugal
  • Presidente do Instituto Europeu de Ciências da Cultura Padre Manuel Antunes
  • Presidente da Casa da Comarca da Sertã
  • Adriano Moreira
  • António Ramalho Eanes
  • António Vaz Pinto, sj
  • Eduardo Lourenço
  • Eduardo Marçal Grilo
  • Eunice Muñoz
  • Fernando Dacosta
  • Francisco Pinto Balsemão
  • Francisco Sarsfield Cabral
  • Hélia Correia
  • Jaime Gama
  • Jorge Sampaio
  • José Pacheco Pereira
  • José Paulo Farinha
  • Lídia Jorge
  • Luís Miguel Cintra
  • Manuel Ferreira Patrício
  • Manuel Sérgio
  • Maria do Céu Guerra
  • Matilde Sousa Franco

 

 

* Alguns nomes de personalidades patentes neste elenco ainda estão sujeitos a confirmação.

COMISSÃO CONSULTIVA DO CENTENÁRIO
  • Família do Padre Manuel Antunes
  • Cláudia Sofia André
  • Paulo Farinha Luís
  • Celso Matias