Theoria: Cultura e Civilização | Cultura Clássica (Estudos)

Da Introdução, por Arnaldo do Espírito Santo:

“Do conjunto da vasta produção intelectual do Padre Manuel Antunes, este volume reúne três géneros de textos muito específicos: cento e cinco verbetes que escreveu para Verbo, Enciclopédia Luso-Brasileira de Cultura; quatro artigos publicados na revista Brotéria; quarenta recensões vindas a lume nesta mesma revista e duas na Revista Portuguesa de Filosofia. Ao todo são cento e cinquenta

e uma peças que têm a uni-las a temática comum da Cultura Clássica, no seu sentido mais lato. São, assim, abrangidas as grandes áreas da prosopografia, da filosofia, da mitologia, da literatura, da política, da religião, das instituições; da paideia, em suma.

[…]

A enciclopédia Verbo consta de vinte e três volumes, publicados entre 1963 e 1995. A colaboração do Padre Manuel Antunes prolongou-se por cerca de vinte anos até ao volume vigésimo. Foi uma colaboração de grande qualidade, sem nunca ceder ao facilitismo ou à banalidade. E se alguns dos verbetes não vão além de uma breve nota de poucas linhas, muitos são os que, com rara capacidade de síntese e precisão, apresentam o conceito e o situam, com todas as implicações culturais, na sua génese e evolução. Por vezes, numa só página é dado o alcance da significação etimológica e o enquadramento mitológico, bíblico, filosófico e teológico. Em todos os casos uma bibliografia essencial, de fontes e estudos, completa o verbete.

Diante do leitor, o que não acontecia com o utente comum da enciclopédia, perfilam-se neste volume, em sequência alfabética, os grandes protagonistas da vida intelectual e política da Antiguidade, poetas, filósofos, oradores, generais, imperadores, lado a lado com as grandes figuras da mitologia, deuses, semideuses, heróis e demais actantes desse mundo fabuloso, com os factos e lugares densos de historicidade, e com os conceitos, as obras, os mitos, os homens e os seus ideais. Lidos assim, em sequência, estes artigos desenham a impressão viva da Cultura Clássica, em que sobressai o Homem, enquadrado pelo seu espaço de vida: o da cidade, o da família, o do mundo que se abre diante dele.” (pp. 1-2)