Política e Relações Internacionais

Da Introdução, por Guilherme d’Oliveira Martins:

“O segundo volume do tomo relativo à Política e Relações Internacionais da Obra Completa do Padre Manuel Antunes corresponde ao abrir rico e heterogéneo de perspectivas de reflexão num período de transição, os anos setenta do século XX, caracterizado por muitas incertezas e perplexidades e pelo intenso avolumar das nuvens anunciadoras de transformações profundas, nas relações internacionais, na abertura de fronteiras para o que hoje designamos por globalização e nos campos da comunicação e da informação. Muito do que encontrámos no primeiro volume tem aqui desenvolvimento ou continuação, mantendo-se, no essencial, as linhas de força já encontradas.

Continuam a sentir-se os ecos de Maio de 1968, já abordados, a partir dos acontecimentos prenunciadores de Berkeley e de tudo o que se lhe seguiu, e agora, na Europa, sob o fascínio de influência chinesa. No essencial, continuamos a acompanhar o tema do anquilosamento do regime da União Soviética, sob a tónica de um imobilismo que transporta no bojo a necessidade de uma profunda mudança social, política e cultural, que era muito difícil de prever quanto ao modo de concretização no momento em que os escritos agora apresentados foram produzidos. Prevalece, assim, a ideia do autor sobre a desorientação dos impérios e sobre a latente fragilização dos respectivos fundamentos. Por outro lado, o caso da China, foco de inesperada atracção ideológica, é especialmente analisado, num momento em que ao deslumbramento juvenil pelo regime de Mao se somam os esforços de abertura e de reconhecimento pelo governo dos Estados Unidos da América no consulado Nixon/Kissinger.” (p. 1)